Grupo JL negocia venda da usina Guaxuma por R$ 900 milhões

O Grupo João Lyra dá sinais de que deve de desfazer de parte de seus ativos para tentar quitar dívidas estimadas em R$ 1,3 bilhão e que culminaram na recuperação judicial das empresas.

Uma transação antecipada no blog do Ricard Motta foi confirmada agora a pouco pela assessoria do Grupo JL. “De fato essas negociações existem. Esperamos que até o final deste ano os negócios sejam concretizados”, disse um assessor.

As negociações se dão em torno, segundo informações, apenas da Usina Guaxuma, localizada em Coruripe, considerada a unidade de maior valor do grupo em Alagoas e que já chegou a ser objeto de negociação com outros grupos.

A estimativa é que o negócio, que está sendo fechado com a Eurobrazil Investments S.A., com sede em Luxemburgo, na Europa, alcance valores entre R$ 800 e R$ 900 milhões.

Moagem

De acordo com a assessoria, duas das três usinas do Grupo JL em Alagoas estão em moagem. A Uruba que entrou em operação no início de novembro e a Guaxuma que entrou em operação há duas semanas.

As duas usinas de Minas Gerais já encerram a moagem e a expectativa é que – com a concretização da venda da Guaxuma – a Usina Laginha, de União dos Palmares, volte a operar em 2014, depois de duas safras parada.

Descrição do autor

Edivaldo Junior

Edivaldo Junior

Edivaldo Junior é jornalista, colunista da Gazeta de Alagoas e editor do caderno Gazeta Rural

Ainda não há comentários.

Participe da conversa