Começam as obras da estação de captação da nova adutora do Agreste

A Parceria Público-Privada (PPP) do Agreste, formada pelo Governo do Estado por meio da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) e pela empresa CAB Águas do Agreste, iniciou a construção da estação de captação do novo Sistema Adutor do Agreste, à margem do rio São Francisco, no município de Traipu.  Estão trabalhando na obra 35 operários, entre armadores, carpinteiros, pedreiros e operadores de máquina.

São utilizados, ainda, cinco máquinas grandes, dois geradores e um compressor. O trabalho começou no final de novembro e está na fase de perfuração de rocha e nivelamento do terreno para o poço de sucção. A oito quilômetros da captação, na Serra dos Manões, também no município de Traipu, está sendo preparado o terreno onde será construído um reservatório apoiado, em aço vitrificado, com capacidade para acumular 4.000m³ de água.

Entre este reservatório e a captação, será erguida uma estação elevatória intermediária. Essas três unidades juntam-se à adutora, que tem 57 quilômetros de extensão, e à estação de tratamento de água (ETA) situada em Arapiraca. Os tubos para a interligação dessa unidade, situada em frente ao campus da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), aos anéis da rede de distribuição de Arapiraca, na AL-220, numa extensão de 4.500 metros, já foram encomendados. O contrato de aquisição, que envolve recursos da ordem de R$ 2 ,2 milhões, foi assinado no dia 20 deste mês pela Casal e pela empresa fabricante Joplas, situada no Polo Industrial de Marechal Deodoro.

 

Tanto a ETA quanto a adutora estão em fase adiantada de construção. A adutora, por exemplo, já está com 30.000 metros de tubulação implantados. A obra mobiliza oito frentes de trabalho, sendo seis pelo dia e duas à noite, a fim de agilizar o serviço, cujo prazo de conclusão está previsto para setembro de 2014, mas que, de acordo com a construtora, deverá ser antecipado para junho.

 

Essa adutora, conforme informou o gestor do contrato da PPP do Agreste, Tácito Castelo Branco, vai dobrar a produção de água do sistema coletivo da região, que passará de 1.500m³/h para 3.000m³/h. O investimento na PPP é de cerca de R$ 143 milhões. Ao todo, 400 mil pessoas serão beneficiadas, principalmente a população arapiraquense, além dos setores comercial e industrial.

Agência Alagoas

Descrição do autor

Edivaldo Junior

Edivaldo Junior

Edivaldo Junior é jornalista, colunista da Gazeta de Alagoas e editor do caderno Gazeta Rural

Ainda não há comentários.

Participe da conversa